Avanços em gestão de TI do Delfin Medicina Diagnóstica

          Grupo investe em aprimoramento do seu sistema de Tecnologia da Informação para evitar perda de informações

Ricardo Oliveira
Gerente TI – Delfin Medicina Diagnóstica

          Ao iniciarmos as atividades na Delfin Medicina Diagnóstica, em 2013, encontramos muitos desafios no setor de Tecnologia de Informação (TI), que iam desde a infraestrutura (troca de cabeamento, ativos, etc.), ao parque tecnológico e até aos sistemas de informação. Esse quadro exigiu vários desenvolvimentos, com o objetivo de garantir qualidade e atender a nossa necessidade da forma mais célere possível, sempre em parceria com a empresa 3Consult Soluções de TI.

          A importância da inovação no setor era crucial para a qualidade dos serviços do grupo e, segundo o diretor geral da 3Consult, Edmar Machado Sampaio, os pontos críticos diagnosticados no setor de TI poderiam, na época, resultar na “perda de informação ou indisponibilidade do ambiente”. Portanto, a empresa parceira nos apresentou processos de monitoramento e suporte adequados às nossas demandas.

          Com a melhora contínua da capacidade de armazenamento para imagens do PACS, obtivemos um incremento de 300%, chegando a atingir 90TB em 2014. Esse avanço pode ser apresentado em números, já que partimos de aproximadamente 150 exames de Ressonâncias Magnéticas (RM) ao dia e 370 exames de Ultrassonografias (USG) ao dia, alcançando a marca de 300 RM e 500 USG (Unidade Itaigara).

          Evoluímos ainda nossos antigos servidores para um BladeCenter H, com o propósito de obtermos melhor performance, gerenciamento e agilidade em nossos processos. Introduzimos, também em 2013, para nossos clientes internos, um sistema de chamados para controle de atendimentos e foco na qualidade e ao longo dos últimos quatro anos, passamos a ter controle total e monitoramento.

          Dentre os avanços alcançados na gestão, posso apontar ainda a realização do monitoramento de todos os ativos (câmeras, servidores, links, anel ótico, etc.), através do nosso parceiro 3Consult, que conta também um serviço especializado de operação, monitoramento e validação de todo nosso backup.

          O suporte abrange sete unidades do grupo Delfin Medicina Diagnóstica, sendo seis no estado da Bahia e um no Rio Grande do Norte.

           Abaixo, segue balanço dos últimos 12 meses, totalizando algo próximo de 10.216 chamados realizados e atendidos:

          Quadro evolutivo aponta a melhoria contínua, em que a cada ano, o número de chamado aumenta devido à complexidade do negócio.

          Em 2016, passamos pelo processo de fusão com o Grupo Alliar, que alavancou ainda mais a força do grupo, modificando nosso sistema de gestão e operação. A partir de então, passamos a utilizar a tecnologia Cloud para tráfego de imagens, superior a dois anos trabalhando em conjunto com nosso datacenter. Passamos a utilizar ainda a fila de chamada Qmatic para controle e monitoramento da chegada e realização dos exames.

          Como parte do processo evolutivo, modificamos nossa ferramenta de gestão para o Pleres, em conjunto com a Central de Laudos, atuando diretamente com a Carestream. Passamos por unificação do BackOffice, CRC e RH, centralizando estes serviços em única estrutura para atender a todo o Grupo.

Edmar Sampaio
Compartilhe: